Posicionando marcas tradicionais no ambiente digital

Início » Blog » Posicionando marcas tradicionais no ambiente digital

Em 2004 quando tive a honra de escrever um artigo sobre “Marcas Fortes”, para o prêmio Top Of Mind, do jornal do Comércio, eu comentava que as empresas que quisessem desenvolver uma presença eficaz na internet precisavam conhecer seu potencial cliente, suas necessidades e criar estratégias, para se comunicar com eficiência.

Percebo hoje, passados nove anos, que a necessidade das empresas continua a mesma. A grande diferença é que surgiram vários meios e ferramentas para se atingir este objetivo.

Se antes existiam poucas alternativas de comunicação online como e-mail marketing, o uso ainda incipiente do SMS Marketing e a necessidade de se ter um bom posicionamento nos mecanismos de busca, hoje temos além destas ferramentas, a Publicidade Online com notável retorno para as empresas e as Redes Sociais, que passaram a ocupar espaço de forma avassaladora entre a população que utiliza a internet para se relacionar, seja com seus amigos ou com as marcas que lhe despertam interesse.

Redes Sociais como Facebook, Linkedin, Foursquare e Google +, blogs e microblogs como Twitter e Tumblr, aplicativos como Instagram, Pinterest, são hoje a porta de entrada das marcas, e muitas delas já nasceram neste ambiente. E é este o grande desafio das marcas tradicionais. Desenvolver uma presença online de forma efetiva e eficiente.

Se antes era importante ter uma presença na web, hoje é fundamental focar numa maior frequência da comunicação da marca com seus clientes em todos os ambientes, estimular o engajamento dos fãs e seguidores para propagar as suas ações de forma viral, monitorar o alcance dessas ações e medir a receptividade de todo o mix da comunicação digital utilizada, junto ao seu público-alvo.

E não estou mais falando somente de web, com um site publicado num endereço www. Falo em presença online mesmo, pois além da web, temos a disposição a comunicação via celular, com o SMS Marketing, campanhas em QR Code no ambiente físico das lojas, ruas e em material impresso, aplicativos para smartphones e tablets.

Ou seja, hoje a comunicação é digital e não mais “só” web. Ficou muito mais complexa, porque não envolve somente acessos a um determinado site através de um computador instalado na casa ou na empresa do consumidor. Envolve toda uma gama de ferramentas e principalmente o uso correto de estratégias digitais que se complementam visando manter na mente do consumidor a lembrança e presença das marcas.

A comunicação deixa de ser on ou offline e passa a ser uma comunicação integrada. Aliás, o usuário de internet deixou de acessar a internet de casa ou do trabalho em horários pré-definidos. Este usuário passou a estar online o tempo todo. No ônibus, durante sua corrida diária, no bar com os amigos, dentro de um shopping. Ele passou a utilizar e se manifestar em todos os momentos da sua atividade diária.

O usuário lê num jornal impresso o anúncio com QR Code que o leva para uma página criada numa rede social. Ele recebe um SMS Marketing convidando-o a visitar a loja no seu bairro. Muitas vezes ele nem “passa” pelo site da empresa.

Importante entender como o e-consumidor “enxerga” esta marca, reage às ações proposta por ela e a amplifica junto ao seu grupo de amigos e não somente o resultado imediato de uma determinada ação. Um exemplo são as campanhas para se conquistar fãs no Facebook. Uma campanha eficiente deve ser analisada pelo engajamento das pessoas através das ações compartilhar e comentar, e não somente pelo clique no botão “curtir”.

Uma marca digital forte é aquela que esta na mente do e-consumidor em todos os momentos da sua presença no ambiente digital. Se o consumidor gosta de navegar nos sites de notícias, a marca deve estar lá, se o consumidor utiliza muito um determinado mecanismo de busca para pesquisar algo do seu interesse, a marca deve estar lá.

Se ele frequenta uma rede social, a marca deve se engajar neste ambiente não só através da criação de um perfil ou via publicidade, mas promover discussões de interesse deste público. Assim a marca irá se transformar em algo importante e necessário na vida deste consumidor.

Ao encerrar este artigo, gostaria de sugerir a você leitor, uma pequena pesquisa mental. Quando você pensa na internet quais as marcas veem a sua mente?

Consegue identificar quantas empresas que nasceram no meio digital e estão fixadas na sua mente?

Que existem e menos de cinco anos?

Quantas das marcas que você pensou são empresas regionais com forte presença no ambiente web?

Tenho certeza que são muito poucas. O que nos remete a um grande desafio.

Transformar as marcas tradicionais “fortes” regionalmente em empresas digitais com alcance nacional e forte lembrança na mente dos e-consumidores.

Acredito que só assim, com marcas com presença marcante nos ambiente tradicional e digital, é que poderemos afirmar que uma empresa possui uma marca forte.

Por Paulo Kendzerski, diretor presidente da WBI Brasil, agência de marketing digital e soluções de comunicação digital. Publicado originalmente no Administradores

By |2017-07-19T15:39:51+00:00setembro 9th, 2014|